Weber prorroga inquérito sobre suposta prevaricação do presidente Bolsonaro

Nesta terça (23), a ministra Rosa Weber, do STF, decidiu prorrogar um inquérito que investiga o presidente Jair Bolsonaro por uma suposta prevaricação no caso do imunizante Covaxin.

Com a medida, o inquérito irá durar mais 45 dias.

Em sua decisão, Weber determinou que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Saúde enviem informações sobre a Covaxin à Polícia Federal.

O inquérito foi aberto em julho após afirmações feitas pelo deputado federal Luis Claudio Miranda (DEM-DF) e por seu irmão, Luis Ricardo Miranda.

Eles disseram que o presidente teria sido avisado por eles sobre supostas irregularidades nas tratativas e que Luis Ricardo teria sofrido pressões por isto.