Milhares vão às ruas na França contra “ditadura do imunizante”

Dois dias após o pronunciamento do presidente francês Emmanuel Macron, que anunciou que a apresentação do passaporte sanitário será necessária para ter acesso à várias atividades no país, milhares de pessoas foram às ruas hoje (14) em diferentes cidades contra o ataque às liberdades individuais.

Os manifestantes criticam as decisões de Macron que são percebidas como uma pressão para que todos sejam vacinados contra a Covid.

Aos gritos de “contra a ditadura”, “não à imunização obrigatória”, “contra o passaporte sanitário”, “liberdade” ou ainda “não somos cobaias”, manifestantes de todas as idades desfilaram pelas ruas.

Além da obrigatoriedade de imunização para todos os trabalhadores do setor da saúde, Macron informou que o acesso à trens, aviões, shoppings, restaurantes, teatros e cinemas será autorizado apenas para quem apresentar o “passaporte sanitário”, documento que prova que seu portador foi imunizado contra a Covid-19 ou que testou negativo recentemente para o coronavírus.