Chanceler argentino pede apoio brasileiro nas negociações da dívida externa

O ministro de Relações Exteriores, Comércio Internacional e Culto da Argentina, Felipe Solá, pediu nesta quarta-feira (12), na primeira visita oficial ao Brasil, a ajuda do governo brasileiro na renegociação da dívida do país junto ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

A Argentina está conversando com os detentores de títulos e outros credores para reestruturar cerca de US$ 100 bilhões em dívida, entre outros, com o FMI, ao qual deve cerca de US$ 44 bilhões.

“Pedimos aos nossos irmãos brasileiros que nos apoiem como puderem junto ao FMI”, disse o chanceler argentino. Ele disse que também fez um “périplo” junto com o presidente Alberto Fernández para tentar obter apoio de países europeus.

De acordo com Felipe Solá, o pedido para encontrar o colega argentino partiu do próprio Bolsonaro, um dos críticos a eleição de Alberto Fernández. Para o chanceler, o pedido de reunião é uma sinalização de entendimento entre os dois líderes.

Ainda segundo o ministro das Relações Exteriores da Argentina, Felipe Solá, o presidente Jair Bolsonaro teria até mandado um abraço para Alberto Fernández.

O chanceler pediu apoio do Brasil nas negociações da dívida externa argentina. Sobre a Venezuela, Felipe Solá disse que, apesar de os governos do Brasil e da Argentina terem ideologias diferentes, os dois presidentes querem que os venezuelanos superem essa crise de forma democrática e em paz, sem derramamento de sangue.

O ministro confirmou, ainda, que a Argentina continua no Grupo de Lima, formado em 2017 por 14 países, para ajudar a Venezuela a superar as crises política, econômica e humanitária.