Bolsonaro inaugura pavimentação do último trecho da BR163 no Pará

O trecho será o principal corredor de exportação de grãos do país. Caminhoneiros, produtores e moradores da região aguardavam a obra há 40 anos.

O presidente disse que a conclusão desse trecho da rodovia representa um “momento de alegria” para os moradores da região, após “40 anos de sofrimento”.

“É um momento de alegria, depois de 40 anos de sofrimento. Essa obra começou a ser tratada pelo governo ainda na transição em 2018. Governar é eleger prioridades e buscar não deixar obras paradas”, afirmou o presidente, em seu discurso.

Caminhoneiros que escoam a produção agrícola de Mato Grosso até o porto de Miritituba demoram mais de uma semana para percorrer um trecho de pouco mais de mil quilômetros, que liga as duas regiões. Agora com a pavimentação esse tempo será reduzido.

Durante a cerimônia, Bolsonaro condecorou alguns militares do 8° Batalhão de Engenharia de Construção (8º BEC) que trabalharam na obra.

Aproveitando a presença na região da floresta Amazônica, Bolsonaro foi enfático ao defender que a “Amazônia é nossa”, criticando mais uma vez a postura de países como a França, que defendem o bioma como uma propriedade internacional.

O governador do Pará, Helder Barbalho, ressaltou a importância da inauguração do asfaltamento da rodovia para o Estado.

“ Hoje é um dia extremamente importante e histórico. O momento do fechamento de um ciclo de mais de 40 anos. Onde, a partir da lógica de integrar para não entregar, esperamos por décadas para que chegasse essa oportunidade de ver a conclusão da pavimentação. É claro, um estado de dimensões do Pará, tem desafios deste tamanho, mas também oportunidades extraordinárias. Oportunidade da produção rural, da sustentabilidade, da geração de energia, isso tudo faz desse Estado a síntese da Amazônia”, afirmou o governador.

Para a conclusão da obra foram investidos R$158 milhões, em 2019, envolvendo centenas de trabalhadores, entre servidores do DNIT, militares do Exército Brasileiro e funcionários de empresas contratadas, que além da pavimentação dos 51km, também realizaram serviços de manutenção em 1.300km da rodovia, de Sinop (MT) a Santarém.