Prefeito do Guarujá é solto pela Justiça e reassume cargo no litoral

prefeito do Guarujá, Válter Suman (PSDB), e o secretário municipal de Educação, Marcelo Feliciano Nicolau, foram soltos após decisão judicial. Eles haviam sido presos preventivamente por suspeita de desvio de verbas da Saúde durante uma operação da Polícia Federal.

Em nota, a Prefeitura de Guarujá informou que, por decisão da Justiça na sexta-feira (17), foi dado fim à custódia provisória ao prefeito e ao secretário de Educação: “Sendo assim, Suman permanece em suas atividades como prefeito de Guarujá”.

A Justiça considerou que “a privação da liberdade de locomoção dos investigados mostra-se excessiva”. 

Os dois foram presos em flagrante durante uma operação da Polícia Federal e foram levados à sede da PF para prestar esclarecimentos no último dia 15. Mandados de busca e apreensão foram cumpridos no paço municipal e nas secretarias do Guarujá, no litoral paulista.

Em audiência de custódia na quinta-feira (16), o juiz havia decidido pela manutenção das prisões preventivas. Os dois foram encaminhados para o CDP (Centro de Detenção Provisória) de São Vicente, também no litoral.