Assasino Lázaro é morto pela polícia de Goiás durante operação

Contra Lázaro Barbosa Sousa, 32 anos, há, pelo menos, oito inquéritos em aberto por crimes como homicídios e latrocínios

Quase 20 dias foragido Lázaro Ramos foi capturado na manhã desta segunda (28) e a polícia de Goiás confirmou sua morte.

Como confirmou o coronel da polícia goiana, logo após ser apreendido, Lázaro foi levado com vida ao Hospital Municipal Bom Jesus, em Águas Lindas, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Lázaro é responsável pela morte de quatro pessoas da mesma família em Ceilândia, na região administrativa do Distrito Federal.

A busca pelo acusado mobilizou centenas de policiais lotados no Distrito Federal e em Goiás.

Além de R$ 4,4 mil , Lázaro levava duas armas, remédios e comida

Valor em dinheiro aumenta suspeita de que fugitivo contava com uma rede de apoio e que poderia fugir para fora do país

Na mochila ele guardava uma faca, um coldre de arma de fogo, um carregador de pistola, munições, uma liga de borracha e fita plástica, um casaco camuflado, uma touca, uma luva de pano, um isqueiro e um frasco branco com óleo. Lázaro transportava também um frasco com comprimidos do antibiótico amoxicilina e do anti-inflamatório naprixona. Para alimentação, havia macarrão instantâneo, tempero pronto, uma cebola e bolachas. 

No confronto com a políica, de acordo com o documento, 125 tiros foram disparados. 

O presidente Bolsonaro se manifestou nas redes sociais:

Deputada do PSOL defende Lázaro : ‘Ao invés de ouvi-lo, o executam’

“Lázaro não agiu sozinho. Há uma quadrilha por trás”, afirma secretário

A polícia trabalha para identificar outras pessoas supostamente envolvidas nos crimes bárbaros cometidos por Lázaro Barbosa Sousa, 32 anos, segundo informou o secretário de Segurança Pública do Estado de Goiás, Rodney Miranda.

Lázaro é investigado em, ao menos, oito inquéritos policiais envolvendo latrocínios (roubo seguido de morte) e homicídios.

O secretário frisou que trata-se de uma quadrilha e não descarta a hipótese do envolvimento do fazendeiro Elmi Caetano, 74, preso na quinta-feira (24/6), por suspeita de auxiliar Lázaro na fuga. “Ele é um psicopata, mas não cometia crimes só por causa da psicopatia. Agia para acobertar ou beneficiar alguém. Sabemos que em alguns desses crimes, ele não agiu sozinho”, destacou o secretário.