Paulo Guedes terá 48h para responder questionamentos da CPI

Advogada de médicos da Prevent Senior afirmou que diretores da empresa tinham “alinhamento ideológico” com a pasta de Guedes

A CPI da Covid-19 aprovou, na tarde desta quarta-feira (6), um pedido para que o ministro da Economia, Paulo Guedes, responda aos questionamentos da comissão em até 48h.

Os senadores também aprovaram outros dois requerimentos, pedindo informações às fornecedoras de imunizantea no Brasil sobre tratativas do governo federal sobre fornecimento de imunizantes em 2022 e à Procuradoria-Geral do Estado do Amazonas sobre procedimento contra operadora de plano de saúde no estado que supostamente pressionar médicos a aplicar o “tratamento inicial”.

A comissão questionará Guedes sobre a afirmação da advogada Bruna Morato, defensora de médicos que produziram dossiê com denúncias contra a Prevent Senior, de que havia um “alinhamento ideológico” da operadora de saúde com a pasta. Em seu depoimento na semana passada, Bruna afirmou que a diretoria da Prevent e o ministério tinham a mesma visão de que o país não “parasse” por medidas restritivas durante a pandemia.

A Prevent seria a responsável, segundo a advogada, por dar aval ao chamado “kit covid”, dando segurança às pessoas contra a doença.