Goiás: Caiado defende lockdown de 14 dias e oferece polícia a prefeitos

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), afirmou nesta segunda-feira (29) que, se dependesse exclusivamente dele, todos os 246 municípios do Estado entrariam no sistema 14×14, com todas as atividades econômicas não essenciais paralisadas por duas semanas.

Ele prometeu um decreto estabelecendo quais as atividades que, de acordo com o governo, não podem funcionar a já a partir de amanhã (terça-feira, 30). “E depois, para os próximos 14 dias, vamos voltar a analisar o que pode ou não ser retomado”, disse. 

“A responsabildiade é de todos nós. Cada prefeito e cada prefeita vai responder pelos casos de seus municípios”, declarou na videoconferência que contou com profissionais de saúde, deputados federais goianos, representantes das cidades e de órgãos públicos.

Goiás tem hoje 21.984 casos, com 435 mortes registradas. Apesar de, na comparação com os outros Estados, os números serem mais baixos, a curva de novas infecções é a que mais cresce no país, enquanto os óbitos seguem estáveis.

Caiado disse que não se pode pensar em eleições nesse momento. “Ninguém pode pensar: ‘Ah, não fica bem pra mim, o comerciante não vai gostar, eu vou perder voto’. Eu não transijo da minha posição. Fornecerei as minhas polícias a todos os prefeitos que querem que haja o comprimento do isolamento. Porta de supermercado não será mais o que é hoje, em que famílias vão inteiras para a frente da lojas.”