CPI pede condução coercitiva do empresário Carlos Wizard

O grupo de sete senadores de oposição ao governo da CPI, decidiram pedir imediatamente a condução coercitiva do empresário Carlos Wizard.

Segundo os senadores, ele foi convocado, mas não tem respondido à comissão, por isso, houve a decisão.

O entendimento foi estabelecido pelos senadores em reunião após a sessão desta quinta, que votou requerimentos de quebra de sigilo fiscal e telemática de 19 pessoas, incluindo informações mirando Wizard.

Ao todo, foram aprovados 29 requerimentos na reunião.

O interesse dos senadores no empresário se dá pelo fato da proximidade de Wizard com o ex-ministro Eduardo Pazuello, a quem conheceu enquanto o general atuava no comando da Operação Acolhida.

Wizard atuou como voluntário na operação e ficou amigo de Pazuello, motivo pelo qual, já na crise de saúde pública, auxiliou Pazuello com assessoramento, como revelou o próprio ex-ministro durante a oitava na CPI.

Seria Wizard um dos idealizadores tal “gabinete paralelo”.

Pazuello revelou que o amigo “por si só propôs reunir médicos aconselhadores.