Bolsonaro pede fim de atos de caminhoneiros no DF e em 16 estados

Em Brasília, meta do movimento é fechar via e impedir chegada de cargas ao DF; Bolsonaro enviou áudio para categoria liberar vias

Caminhoneiros que apoiam o presidente Jair Bolsonaro fizeram manifestações em Brasília e em, ao menos, 16 estados nesta quarta (8).

Na capital federal, eles fecharam a BR-040 no sentido Plano Piloto, no fim da tarde e início da noite, e pretendem bloquear a via que deixa a capital federal rumo a Luziânia (GO) na manhã desta quinta (9) quando, acreditam, o movimento terá ganhado força. A intenção do grupo é impedir a chegada de cargas ao Distrito Federal. 

Um dos representantes do grupo, o caminhoneiro Wallison André Martins da Silva, afirmou que o grupo reivindica a renúncia dos ministros do STF e a aprovação do voto impresso pelo Senado, pautas das manifestações antidemocráticas de 7 de setembro, e a redução do valor do combustível na bomba.

“Já está parado Cristalina (GO), Unaí (MG) e Paracatu (MG). O voto impresso e a renúncia dos ministros são o mais importante”, disse.

O grupo está pedindo para os caminhões encostarem. Carros de passeio podem passar. De acordo com Wallison, o movimento tem fôlego para fechar a rodovia por vários dias, se for preciso. “Por enquanto, estamos fechando no sentido Luziânia-Valparaíso, vindo para o DF, para não ir carga para o DF. A intenção é não ir nada para Brasília. Amanhã, fechamos no outro sentido. Ficaremos até os ministros saírem e os senadores votarem a lei do voto impresso”, reforçou.

Áudio de Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro enviou um áudio no final da noite desta quarta-feira (8) por meio do qual amenizou o discurso e fez um apelo para que não a categoria não pare o país.

“Fala para os caminhoneiros aí que são nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham a nossa economia e isso provoca desabastecimento, inflação, prejudica todo mundo e, em especial aí, os mais pobres. Então, dá um toque aí nos caras, se for possível, e vamos liberar, tá ok? Para a gente seguir com a normalidade. Deixa com a gente em Brasília agora. Não é fácil negociar, conversar, por aqui com outras autoridades, mas a gente vai fazer a nossa parte e buscar uma solução, tá ok? E em meu nome dar um abraço a todos os caminhoneiros aí”, disse Bolsonaro na mensagem.

Após a divulgação do apelo de Bolsonaro aos caminhoneiros, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, divulgou um vídeo, às 22h30, atestando a veracidade do áudio. Ele disse que há questionamentos entre caminhoneiros se o áudio é real e se é uma gravação atual.