‘Taiwan não será forçada a se curvar à China’, diz presidente Tsai

A presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, disse neste domingo (10) que o território “continuará a reforçar suas defesas” para garantir a autonomia da ilha frente a pressão da China.

“Não agiremos precipitadamente, mas não deve haver absolutamente nenhuma ilusão de que o povo taiwanês se curvará à pressão”, disse ela.

O pronunciamento foi feito durante uma transmissão veiculada para o feriado do Dia Nacional, data equivalente ao dia da independência.

Taiwan é uma ilha com 23 milhões de habitantes que se separou da China e tem um governo independente e eleições democráticas.

Mas o governo chinês considera que a ilha pertence ao seu território e ameaça conquistá-la — à força, se necessário.

“Continuaremos a reforçar nossa defesa para garantir que ninguém possa forçar Taiwan a seguir o caminho que a China nos traçou”, afirmou Tsai.

Para a presidente taiwanesa, o governo chinês não oferece um modo de vida democrático para Taiwan, nem soberania para seus habitantes.

Reunificação de China e Taiwan ‘será conseguida’, diz Xi Jinping

“A reunificação completa de nosso país pode e será conseguida”, disse Xi ao final de um discurso comemorativo dos 110 anos da Revolução Xinhai (1911), que acabou com séculos de poder dinástico na China e levou à criação da República da China.

O presidente chinês chamou os “compatriotas de ambos os lados do estreito [de Taiwan]” para “ficarem do lado certo da história”, advertindo que aqueles que promovem a independência de Taiwan são “o maior obstáculo” à reunificação e um “grave perigo”.