Taiwan alerta China a não se aproximar da ilha e Pequim defende exercício militar

O Ministério da Defesa de Taiwan alertou a China nesta quarta-feira (13) que adotará medidas fortes em reação à aproximação de forças chinesas da ilha.

As declarações aconteceram após quatro dias seguidos de incursões da Força Aérea chinesa na zona de identificação de defesa aérea de Taiwan, que começaram no dia 1º de outubro.

Taipei vê as incursões como um assédio militar crescente de Pequim. 

Ao Parlamento, o Ministério da Defesa de Taiwan disse que as forças da ilha adotarão o princípio de “quanto mais próximos eles chegarem, mais fortes serão as contramedidas”.

O ministério voltou a manifestar preocupação com o crescente incremento militar chinês, com novos porta-aviões, submarinos a propulsão nuclear e navios de assalto anfíbios iniciando suas operações.

As capacidades chinesas para negar acesso e bloquear o Estreito de Taiwan “estão se tornando mais e mais completas, o que representará desafios e ameaças graves às nossas operações de defesa”, acrescentou o ministério.

Taiwan é um país independente da China, e diz que defenderá sua liberdade e democracia.