Maia e Alcolumbre repudiam possível volta do AI-5; Bolsonaro diz que não defende autoritarismo

Os presidentes da Câmara e do Senado divulgaram nota, nesta quinta-feira, sobre a declaração do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) sobre uma possível volta do AI-5.

Davi Alcolumbre lamentou a fala do deputado e disse que no Brasil não há espaço para retrocesso autoritário e pediu respeito à democracia no país.

Em sua nota, Rodrigo Maia repudiou as palavras do deputado e reafirmou que o Brasil é um estado democrático, e que uma nação só é forte quando as instituições estão fortalecidas.

O presidente Jair Bolsonaro, durante uma entrevista, ao vivo, no programa do jornalista Datena, na televisão, disse que o filho foi mal interpretado nas declarações.

A reação veio depois de uma entrevista do deputado Eduardo Bolsonaro, em que ele afirma que, se a esquerda radicalizar no Brasil, uma das respostas do governo poderá ser via um novo AI-5. A entrevista foi divulgada no canal da jornalista Leda Nagle, no YouTube.

O Ato Institucional nº 5, conhecido como AI-5, foi um decreto durante o regime militar, que declarou o fechamento do Congresso Nacional e autorizou o presidente a decretar estado de sítio por tempo indeterminado.

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever-se  
Notificação