Ibaneis avaliará abertura de bares e restaurantes, após pressão de manifestações

Um dia após as manifestações que ocorreram, a primeira em frente a sua residência no domingo e em frente a sede do governo na segunda, Ibaneis decidiu reavaliar o funcionamento de escolas particulares e academias a partir de 8 de março.

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), vai reavaliar também, na segunda (8/3), a situação dos bares e restaurantes do Distrito Federal. 

Nesta segunda (1º/3), diante das manifestações, o chefe do Executivo se viu acuado e não teve outra saída se não de se reunir com representantes do setor produtivo, no Palácio do Buriti.

“Quero que todos os setores da economia voltem a funcionar no máximo em 15 dias. Alguns vão voltar antes. Mas antes precisamos aumentar o número de UTIs e reduzir a taxa de transmissão do vírus. E para isso precisamos da colaboração de todos.”, disse Ibaneis

Após as primeiras 24 horas de medidas restritivas no Distrito Federal, determinadas no sábado (27/2), o prejuízo já foi contabilizado no setor hoteleiro da capital federal, que perderam mais de R$ 1,198 milhão em receitas.

O que não pode funcionar

  • Eventos, de qualquer natureza, que exijam licença do Poder Público;
  • Atividades coletivas de cinema, teatro e museus;
  • Atividades educacionais presenciais em todas as creches, escolas, universidades e faculdades, das redes de ensino pública e privada;
  • Academias de esporte de todas as modalidades;
  • Clubes recreativos, inclusive a área de marinas;
  • Utilização de áreas comuns de condomínios residenciais;
  • Boates e casas noturnas;
  • Atendimento ao público em shoppings centers, feiras populares e clubes recreativos (nos shoppings centers ficam autorizados o funcionamento de laboratórios, clínicas de saúde e farmácias e o serviço de delivery. Nas feiras livres e permanentes fica autorizada a comercialização de gêneros alimentícios, vedado qualquer tipo de consumo no local);
  • Estabelecimentos comerciais, de qualquer natureza, inclusive bares, restaurantes e afins;
  • Salões de beleza, barbearias, esmalterias e centros estéticos;
  • Quiosques, foodtrucks e trailers de venda de refeições;
  • Comércio ambulante em geral.