Doria diz que quem não respeitar quarentena pode ser preso pela Polícia Militar

O governador João Doria (PSDB) disse nesta segunda-feira (6) que as pessoas que desrespeitarem a quarentena e fizerem aglomerações nas ruas do estado serão advertidas e orientadas, mas que se insistirem poderão ser presas pela Polícia Militar.

De acordo com o governador, a Polícia Militar de São Paulo está autorizada a agir para evitar aglomerações nas ruas, primeiro com advertência e orientação, e depois com medidas coercitivas com penas previstas em lei, inclusive prisão.

A declaração foi dada na tarde desta segunda-feira (6), durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes. Doria estendeu a quarentena em todo o estado até o dia 22 de abril.

“A Polícia Militar de São Paulo está autorizada para agir para evitar aglomerações, primeiro com advertência e orientação, inclusive com automóveis que possuem gravações que já foram feitas para orientar a dispersão das pessoas e que elas retornem a suas casas e fiquem em casa. A primeira medida será orientativa”, afirmou Doria salientando que se trata de uma determinação do governo do estado de São Paulo.

Doria disse que o secretário de Segurança Pública de São Paulo, General Campos, já recebeu a autorização para a Polícia Militar e que tem “convicção” de que as pessoas seguirão a orientação.

“Eu tenho convicção de que as pessoas seguirão a orientação. Até porque se não o fizerem, a segunda etapa será a de medidas coercitivas, podendo penalizar essas pessoas com as penas previstas em lei, que vão inclusive à prisão. Eu tenho certeza de que isso não será necessário, de que as pessoas compreenderão a necessidade de ficar em suas casas e atenderem a recomendação. E as que por distração, circunstâncias eventualmente na rua receberão nessa fase inicial a orientação da Polícia Militar para que se dispersem e retornem às suas casas.”

A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo informou neste domingo (5) que o estado chegou a 275 mortes relacionadas ao coronavírus. São 15 óbitos a mais doque o registrado no boletim divulgado neste sábado (4).