COAF aponta “movimentações atípicas” de R$ 2,5 milhões na conta do deputado David Miranda

O COAF enviou um relatório ao Ministério Público do Rio de Janeiro onde aponta “movimentações atípicas” de R$ 2,5 milhões feitas pelo deputado federal David Miranda (PSOL-RJ) em sua conta bancária entre abril de 2018 e março de 2019.

Após analisar o período, o COAF informou que R$ 1,3 milhão entrou na conta corrente do parlamentar, registrada em uma agência do Banco do Brasil em Ipanema, na Zona Sul do Rio e as saídas de valores da conta somaram R$ 1,2 milhão no mesmo período

A partir do documento enviado pelo órgão financeiro, o MP-RJ abriu uma investigação sobre as movimentações do deputado do PSOL, David Miranda, que é parceiro dE Glenn Greenwald, editor e cofundador do site Intercept.

O relatório do COAF considera “suspeita de ocultação de origem” uma série de depósitos de valores que giravam entre R$ 2,5 mil e R$ 5 mil, feitos em espécie, informou o jornal O Globo.

Os analistas do órgão destacam no relatório o fracionamento dos depósitos e também a existência de repasses de funcionários do gabinete ao deputado.

Quatro assessores e ex-assessores de Miranda também tiveram a quebra do sigilo pedida pela 5ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Capital ao Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) na 16ª Vara de Fazenda Pública, porque foram identificados depósitos deles na conta do deputado.

Para os investigadores, existe a suspeita de um esquema de “rachadinha”, de devolução de parte dos salários ao parlamentar do PSOL.

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever-se  
Notificação