5G: Capitais e o Distrito Federal terão cobertura de sinal 5G até 31 de julho de 2022

O 5G é considerado a nova geração da internet, sendo associado a tecnologias como a internet das coisas, aparelhos e veículos autônomos e uso de realidade virtual.

A expectativa do governo é de que o leilão levante até R$ 49,7 bilhões se todos os lotes forem arrematados, com outorga de R$ 10,6 bilhões.

O edital prevê que todas as capitais e o Distrito Federal terão cobertura de sinal 5G até 31 de julho de 2022. A previsão é que todas as cidades com mais de 30 mil habitantes sejam atendidas até 31 de julho de 2029.

As três maiores operadoras de telefonia do país – Claro, Vivo e Tim – oferecerão a tecnologia 5G, que deve estar em todas as capitais até o próximo ano.

As gigantes levaram lotes nacionais na mais importante faixa do certame, a de 3,5 GHz, em leilão realizado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Com o leilão o Brasil ganha quatro novas operadoras, três regionais e uma nacional, a Winity.

As empresas vencedoras do lote de 3,5 GHz deverão oferecer 5G em municípios com mais de 30 mil habitantes, backhaul (infraestrutura) de fibra óptica em municípios, compromissos associados à migração de recepção de TV por antenas parabólicas e a implementação da rede privativa do governo.

A faixa de 3,5 GHz é considerada a porta de entrada do 5G, por isso é a faixa de maior interesse. Há blocos nacionais e regionais.

Nas redes sociais, o Ministro das Comunicações, Fábio Faria, falou sobre a missão cumprida. O início do leilão contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro.

Nova operadora leva 1º lote e vai atuar em todo país

Winity II Telecom, ligada ao Fundo Pátria, venceu nesta quinta-feira (4) a disputa pelo primeiro lote do leilão do 5G. Com isso, o Brasil contará com uma nova operadora de telefonia móvel com autorização para oferecer o serviço em todo o país.

Atualmente, o Brasil conta com três empresas autorizadas a prestar serviço de telefonia móvel com abrangência nacional: Claro, TIM e Vivo.

As empresas que participaram da disputa do lote, e os respectivos lances, são:

  • Winity II – R$ 1.427.872.497,87
  • NK 108 – R$ 333.333.333,77
  • VDF – R$ 318.000.000,00

Com a chegada da Winity, portanto, o país voltará a ter quatro empresas com autorização para oferta nacional do serviço.

As regras estabelecidas pela Anatel para o leilão do 5G permitem a criação de redes neutras no país. Isso significa que as empresas que arrematarem os lotes, podem, se assim quiserem, alugar essas frequências para outras empresas prestarem o serviço de telefonia de quinta geração.

Essa figura de rede neutra vale para todos os lotes ofertados no leilão do 5G, inclusive o da faixa de 700 MHz arrematado pela Winity.

O que são faixas de frequência

As faixas de frequências são por onde passam os dados. Como o espaço é limitado, as faixas vão a leilão. É por meio dessas faixas que o serviço de internet será prestado. O prazo de outorga —o direito de exploração das faixas — será de até 20 anos, podendo ser prorrogados.

Cada uma dessas faixas foi dividida em blocos nacionais e regionais. As empresas interessadas fazem as ofertas para esses blocos. Por isso, cada faixa de frequência pode ter mais de uma empresa vencedora, com atuações geográficas coincidentes ou distintas. Mas há limites para evitar concentração.

A empresa que levou um bloco nacional de 3,5 GHz não pode arrematar um regional.

Cada faixa tem uma finalidade específica, então, é esperado que atraiam empresas diferentes. Algumas faixas são voltadas, por exemplo, para celulares. Outras, para internet das coisas ou aplicações agrícolas.

Leilão pode ir até amanhã

As empresas que participam do leilão devem cumprir uma série de investimentos obrigatórios. Entre os investimentos está a necessidade de conectar escolas públicas e levar o acesso à rede móvel para rodovias federais.