PF prende primo de Alcolumbre em operação contra tráfico internacional de drogas

Isaac Alcolumbre é primo do senador Davi Alcolumbre. Um aeródromo do ex-deputado funcionava como local de abastecimento e manutenção das aeronaves usadas para distribuir entorpecentes vindos da Colômbia e Venezuela.

De acordo a Folha, o superintendente da PF no estado, Anderson de Andrade Bichara, informou que, na casa de Isaac, foi encontrada uma grande quantidade de dinheiro “que ainda está sendo contada”, mas é “muita coisa”.

A OPERAÇÃO

A Polícia Federal que contou com 300 agentes da PF, cumpriu 19 mandados de prisão no âmbito da operação Vikare, deflagrada nesta quarta (20), que investiga grupo criminoso que atua com o tráfico internacional de drogas.

Entre os presos, está o ex-deputado estadual pelo Amapá, Isaac Alcolumbre, primo do senador e atual presidente da CCJ do Senado Federal, Davi Alcolumbre.

A operação também cumpriu 51 mandados de busca e apreensão em cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Pará, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Ceará e Piauí.

A ação partiu de investigação no Amapá iniciada em maio de 2020 que identificou que o Amapá era um ponto logístico da organização criminosa. Esquema usava aeronaves e empresas para mascarar o transporte de entorpecentes entre vários estados e países da América do Sul.

Um aeródromo na capital Macapá – de propriedade de Isaac Alcolumbre – funcionava como local de abastecimento e manutenção das aeronaves – a maioria de pequeno porte.

Em nota à imprensa, o ex-deputado negou as acusações de tráfico de drogas completando que “não está envolvido em nada”. Detalhou ainda que comunicou “por vezes” à polícia sobre suspeitas, porém não detalhou os crimes.

Além dos mandados de prisão e busca e apreensão, a Justiça Federal determinou a apreensão de 95 veículos entre carros, motos e caminhões, além de 3 aeronaves, 19 embarcações, indisponibilidade de imóveis de 41 pessoas físicas e jurídicas e o bloqueio de R$ 5,8 milhões em ativos financeiros de investigados.