‘Não sou um censor do presidente’, diz Queiroga à CPI sobre postura de Bolsonaro na pandemia

“O compromisso é individual, o benefício é de todos. Reitero: o médico tem obrigação de meios, não de resultados. E o meu meio é a minha voz, e a usarei. Isso não quer dizer que eu vou conseguir”, disse Queiroga.

O ministro foi questionado por Renan Calheiros (MDB-AL) sobre o fato de o presidente não o uso máscara e fazer o tal distancimento social.

Queiroga frisou que trata-se de uma questão individual, mas que ele sempre orienta as autoridades do governo.

“Sou ministro da Saúde, não sou censor do presidente da República. Faço parte de um governo, presidente não é julgado pelo ministro da Saúde. As recomendações sanitárias estão postas, cabe a todos aderir a essas recomendações. Primeira atitude minha foi editar uma portaria para obrigar o uso de máscara no Ministério da Saúde”, disse.