Cubanos saem às ruas do país para pedir liberdade

Milhares de cubanos saíram às ruas de Havana neste domingo (11) para pedir liberdade em manifestações pacíficas que foram interceptadas pelas forças de segurança e apoiadores do governo, originando confrontos violentos e prisões.

Os confronto entre manifestantes e militantes do governo ocorreram no Parque da Fraternidade, onde milhares de pessoas se reuniram diante da forte presença de militares e policiais, muitas foram detidas.

Parte dos manifestantes conseguiu escapar e avançou em massa ao longo da avenida Paseo del Prado em direção ao Malecón aos gritos de “liberdade”, “pátria e vida” e “abaixo a ditadura”.

Governo cubano responde a protestos de desestabilização no país: ‘A rua é dos revolucionários’

O presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, respondeu neste domingo (11/07) uma nova tentativa de desestabilização no país, afirmando que as ruas pertecencem aos revolucionários cubanos. 

O mandatário disse que, diante das campanhas de difamação, os cubanos deveriam se mobilizar em defesa do país “para mostrar que a rua é dos revolucionários”, percorrendo diversas cidades cubanas.

“De forma sutil, covarde e oportunista, aqueles que sempre apoiaram o bloqueio [norte-ameircano] e se valeram de mercenários e lacaios do império, aparecem com doutrinas humanitárias para fortalecer o critério de que o governo cubano não é capaz de sair desta situação, se eles querem preocupar-se com o povo cubano, abra o bloqueio (…) sabemos que não o fazem porque não têm valores”, disse o presidente cubano.