Bolsonaro: “Mais importante que a vida, é a liberdade”

No comando de mais uma live, o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar as medidas de isolamento social e afirmou, durante transmissão ao vivo semanal, acreditar que “mais importante que a vida, é a liberdade”.

Sobre a pandemia do novo coronavírus, “morre muito mais gente de pavor do que de um ato em si”, disse Bolsonaro.

O presidente afirmou que o que mais quer é que o País volte à normalidade.

Bolsonaro ainda defendeu que as pessoas voltem ao trabalho usando máscaras, assim que o projeto em tramitação no Congresso que obriga o uso de máscaras protetoras for aprovado. Para o presidente, a segurança fornecida pelos equipamentos justifica uma eventual retomada da atividade econômica, de forma que “se não puder (trabalhar) é porque a máscara não funciona”.

“Se nós dizemos a vocês que a máscara evita o contágio, vamos poder trabalhar de máscara, porque, se não puder, é porque a máscara não funciona. Tem que voltar a trabalhar, pô, a vida continua”, disse o presidente em transmissão de vídeo feita em sua página no Facebook. Na live, Bolsonaro também voltou a defender o uso da cloroquina no tratamento da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, embora reconheça que ainda não há comprovação científica de que o medicamento funcione contra o vírus.

“Nós sabemos que não tem uma comprovação científica, mas tem muitos relatos de médicos, de pessoas com comorbidades que tomaram a hidroxicloroquina e estão vivos. Claro que alguns morrem, mas a grande maioria vive e conta sua experiência”. “Quem quiser tomar, toma. Quem não quiser, não toma”, concluiu o presidente