Bolsonaro defende militares à frente do Ministério da Defesa

O presidente Jair Bolsonaro participou nesta quinta (10) da cerimônia de comemoração de 22 anos da criação do Ministério da Defesa .

No evento, Bolsonaro defendeu que a pasta seja comandada por militares.

Bolsonaro criticou a presença de civis no comando da pasta, ocorrida em outros governos, ao afirmar que “filiações político-partidárias ocuparam a frente do ministério da Defesa”.

“Ela veio muito mais por uma imposição política do que uma necessidade militar, mas, mesmo assim, ela foi aprovada sem muita discussão”, afirmou.

O presidente lembrou que o retorno dos militares ao comando da Defesa teve início com o governo do então presidente Michel Temer, que foi responsável por colocar à frente do ministério o general Silva e Luna.

“E, realmente, esse amadurecimento começou a se acelerar. Chegou o nosso governo, coloquei o general Fernando Azevedo e, agora, o general Braga Netto à frente da Defesa”, disse.

Bolsonaro disse ainda que o governo federal “joga dentro das quatro linhas” da Constituição Federal.

“O Exército é a garantia da nossa soberania e a garantia também da nossa Constituição. Temos um governo que joga estritamente dentro das quatro linhas da nossa Constituição. Isso é paz para todos. É sinal de harmonia, é sinal de progresso”, apontou.